Posso mostrar legalmente vídeos do YouTube na igreja?

Posso mostrar legalmente vídeos do YouTube na igreja?

Posso mostrar legalmente vídeos do YouTube na igreja?

Vídeos do YouTube não são licenciados para serem exibidos na igreja. Se você fizer alguma edição no vídeo, incluindo a censura de palavrões, talvez esteja criando um trabalho derivado

Há muitas questões legais que vêm com a responsabilidade de ser um técnico de igreja.

1) “Podemos mostrar a autorização do autor em um único slide antes ou depois do culto, em vez de durante a música?”
2) “Como somos uma igreja e não ganhamos dinheiro, basicamente, podemos fazer o que queremos, certo?”
3) “Não precisamos de uma licença especial para transmitir ao vivo uma música moderna, não é?”
4) “Podemos mostrar vídeos do YouTube na igreja porque eles estão na internet, certo?”

Embora eu não seja um advogado, nem esteja tentando ser um advogado online neste post, vou lhe dizer a resposta para todas essas perguntas, como eu as compreendo, lendo termos de serviço e tentando entender a lei.

  1. Não. 2) Errado. 3) Sim, você precisa. 4) O último é mais complicado.

Os direitos autorais não são apenas o “direito de fazer cópias”, mas toda uma série de direitos que o criador obtém na criação. Fazer cópias de uma pintura ou escultura, costumava ser uma coisa difícil, fazê-lo agora, é mais fácil do que nunca. Fazer uma cópia de um vídeo que é preservado em formato digital em servidores conectados à Internet é trivial.

Mas esse não é o único direito que um criador recebe. Ele também pode determinar onde suas obras são exibidas ou executadas e se elas são usadas em um trabalho derivado. Isso explica em partes o motivo desta questão ser complicada. Vídeos do YouTube não são licenciados para serem exibidos na igreja. Se você fizer alguma edição no vídeo, incluindo retirar o som de palavrões ou mostrá-los em conjunto com uma música, ao vivo, você pode estar criando um trabalho derivado.

Então, como você resolve esses problemas? Obter permissão. É isso aí. Descubra quem é o dono do vídeo, o que pode ser difícil, e obtenha permissão específica por escrito para mostrar o vídeo na igreja, da maneira que você quiser.

Se possível, faça com que enviem uma cópia do vídeo também.

Vídeos do YouTube não são licenciados para serem exibidos na igreja. Se você fizer alguma edição no vídeo, incluindo censurar palavrões, talvez esteja criando um trabalho derivado. @PaulAlanClif

Por quê? Esse é outro problema. O próprio YouTube tem uma linguagem em seus termos e condições que impedem a exibição de vídeos diretamente do site em uma apresentação pública OU o download do vídeo. Então, embora você possa ter permissão do proprietário dos direitos autorais, tecnicamente, está quebrando o contrato que você fez com o YouTube quando começou a usar o site.

Este não é realmente um problema de direitos autorais. É uma questão de contrato. O YouTube permite que as pessoas armazenem seus vídeos em seu site. Eles permitem que as pessoas assistam a esses vídeos. Como eles estão armazenados nos servidores do YouTube, o YouTube pode especificar como eles permitem que as pessoas os consumam. Então, é perfeitamente legal que eles digam: “Você não pode fazer o download e/ou exibir vídeos do YouTube para grandes públicos, mesmo que o proprietário dos direitos autorais diga que não há problema em fazê-lo”.

Embora, tecnicamente, seja possível fazer com que um representante autorizado do YouTube conceda a você permissão para fazer o download e/ou exibir vídeos específicos, praticamente é quase impossível fazê-lo.

Então, você pode mostrar vídeos do YouTube na igreja? Sim, se você passar por todos os obstáculos e encontrar as pessoas certas para lhe dar permissão para fazê-lo. Na prática, é possível conseguir? Não facilmente. Você deve infringir a lei de direitos autorais e seu contrato com o YouTube? Eu não faria. Você vai ficar em apuros por fazer isso? Talvez. Talvez não. Vale a pena o risco? Eu duvido.

Eu, por exemplo, odiaria ter o nome da minha igreja em toda a imprensa local por fazê-lo, mesmo que, eventualmente, um júri decidisse que estava tudo bem. As leis também podem ser incapacitantes para a maioria das igrejas.

A resposta melhor e mais segura é apenas não.

Sobre o Paul Alan Clifford
Consultor de tecnologia da igreja, trabalha com funcionários e voluntários que querem usar a tecnologia para impactar pessoas longe de Deus. Tem sido voluntário de tecnologia da Quest Community Church em Lexington (EUA) desde 2000 e é o fundador da TrinityDigitalMedia.com. Escreveu livros e vários artigos para publicações como “Church Production” e “Technologies for Worship”.

Compartilhe esse texto
QUER VISITAR A CHURCH TECH EXPO 2019?

INSCRIÇÕES GRATUITAS

Church Tech Expo | de 27 a 29 de junho de 2019 | Pro Magno Centro de Eventos - Av. Profa. Ida Kolb, 513 - Jardim das Laranjeiras, São Paulo/SP